sexta-feira, 28 de março de 2014

Netinho de Paula deixa gestão Haddad

Secretário da Promoção da Igualdade Racial ganhou destaque com 'rolezinhos' e deve tentar vaga no Congresso
Matéria publicada originalmente pelo Estado de S.Paulo
Adriana Ferraz
Atual secretário municipal da Promoção da Igualdade Racial, Netinho de Paula (PCdoB) deixa o governo na semana que vem. Ele deve ser substituído por Antonio Pinto, o Toninho, que é filiado ao PT e trabalha como assessor de Netinho desde 2008. O anúncio deve ser feito pelo prefeito Fernando Haddad (PT) até segunda-feira.
Criada no ano passado, a secretaria ganhou destaque por ajudar a Prefeitura a dialogar com as lideranças responsáveis pelos "rolezinhos" que fecharam shoppings e foram até parar na Justiça. Por sua influência com as comunidades da periferia, Netinho negociou a troca dos shoppings por parques e clubes municipais.
A troca só ocorre porque Netinho vai disputar as eleições em outubro - ainda não está definido, porém, se vai tentar novamente uma vaga no Senado ou se sai para deputado federal. Até lá, o cantor e vereador reassume seu posto na Câmara.
Com o retorno de Netinho ao Legislativo, seu suplente, o ex-ministro dos Esportes Orlando Silva (PCdoB) deixa a Casa. Ontem, Silva foi homenageado pelos colegas. Ao fazer um balanço de seu mandato, ressaltou a aprovação de uma lei de sua autoria que concede isenções fiscais a quem investir no esporte em São Paulo. Presidente da legenda estadual do PCdoB, ele deve disputar uma vaga na Câmara dos Deputados.
Improbidade. Em fevereiro, o Tribunal de Justiça acatou agravo de instrumento proposto pelo MPE e aceitou denúncia de improbidade administrativa contra o secretário, acusado de ter usado notas fiscais frias para desviar verbas de seu gabinete enquanto era vereador, em abril de 2010, em um caso revelado pelo Estado. Netinho continua a se defender na Justiça. 

segunda-feira, 24 de março de 2014

Vereador lava até BMW particular com verba pública

'Estado' analisou 7,9 mil notas e apurou que recurso de gabinete banca advogados, giz de cera e aluguel de carro de luxo em SP
Matéria publicada originalmente no O Estado de S. Paulo
Adriana Ferraz, Daniel Trielli e Edison Veiga 
Vereadores de São Paulo usam verba de gabinete para pagar aluguel de carro pelo dobro do preço oficial, comprar papel higiênico para escritório político, contratar advogado em vez de recorrer aos 32 procuradores da Câmara Municipal e encomendar brindes e homenagens para agradar seu eleitorado. O Estado analisou cada uma das 7.960 notas fiscais apresentadas no primeiro ano da atual legislatura e averiguou como cada parlamentar gasta os recursos públicos.
Entre os pedidos de reembolso feitos em 2013 há também recibo de lavagem de carros de luxo particulares, de material escolar - como giz de cera e tinta guache -, flores e notas fiscais que indicam variação de até 30% na compra de um mesmo produto dentro de 30 dias, como um litro de combustível etanol. No ano passado, os 55 vereadores paulistanos foram reembolsados em R$ 9 milhões para custear despesas de gabinete.

O levantamento mostra em detalhes como os parlamentares fazem uso dos R$ 218 mil anuais a que têm direito. O resultado é que, dependendo do vereador, boa parte dos gastos não segue o princípio do interesse público nem a regra do menor preço, de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal.

quarta-feira, 19 de março de 2014

Emendas parlamentares rendem frutos a Deputado Federal em Jaguariaíva - PR

Reprodução: Jornal da Manhã

O deputado federal Sandro Alex (PPS) foi homenageado na Câmara Municipal de Jaguariaíva, na sessão plenária de 17/03, com o título de Cidadão Honorário. Em uma sessão recheada de autoridades locais como o Prefeito e o Juiz de Direito da Comarca entre outras celebridades.
A homenagem foi uma proposta do Vereador Gilberto Mussi (DEM) -1º Secretário do Legislativo-. Segundo o vereador, o deputado é o maior benfeitor da cidade, através de suas emendas legislativas.

Não vamos aqui discutir o significado destas emendas para um município do interior do país, sabemos das dificuldades financeiras que assolam a maioria deles. O fato é que estas emendas são usadas pelos políticos como manutenção de seus redutos eleitorais, sempre pensando em angariar mais votos nas próximas eleições.

Em ano eleitoral, até a simples conquista de um kit de equipamentos para o Conselho Tutelar da cidade foi atribuído ao Deputado, veja a matéria no Portal Terra, e comemorado com exposição em praça pública de um veículo entregue pelo governo federal como parte do kit.

Foto: Facebook

A faixa colocada no veiculo em agradecimento ao deputado, induz o cidadão a acreditar que ele foi doado ao Conselho Tutelar pelo parlamentar, o que não é verdade.

Precisamos lembrar a população jaguariaívense que, EMENDAS PARLAMENTARES são provenientes dos impostos que pagamos, portanto, trata-se de dinheiro público e todos os municípios participam da distribuição da verba, basta cumprir algumas regras básicas. Isto posto, fica claro que o deputado em questão não está fazendo favor algum a cidade, onde teve uma ótima votação, e apenas cumprindo com sua obrigação destinando verbas federais ao município sem colocar um tostão de seu bolso. 

Nada contra o vereador autor da proposição, é um direito que lhe assiste e respeito apesar de ser contrário a esse tipo de honraria.

Na volta a Brasília, o deputado parece comemorar a conquista em sua página no Facebook:
"Amanhece mais um dia.
Estamos na estrada seguindo ao DF.
Na noite de ontem recebi o título de Cidadão Honorário de Jaguariaíva. O Título de Cidadão equipara a pessoa homenageada a uma adoção oficial.
Passo, portanto, a ser um irmão, um conterrâneo, uma pessoa da terra de Jaguariaiva. Agradeço a todos os vereadores, em especial o autor Dr. Gilberto Mussi, e a todos os amigos que lotaram o plenário. Amigos da Apae, Casmi, da Fajar, setor madeireiro; do hospital, do asilo, comércio e área rural do Sertão.
Esta honraria é um reconhecimento do trabalho realizado pelos jaguariaivenses e aumenta a nossa responsabilidade.
O Sol nos acompanha nesta manhã.
Que ele ilumine nossas vidas e nossas mentes.
Vamos em frente!"

Todo o cuidado é pouco com a desinformação, isso só transforma políticos em heróis.
A política como ela é!

sábado, 15 de março de 2014

Fila por vaga em creche aumenta no primeiro ano da gestão Haddad

Em 2013, déficit fechou em 96,6 mil lugares; secretário culpa gestão anterior e titular de Kassab diz que sucessor não ampliou matrículas

Matéria publicada originalmente pelo O Estado de S. Paulo

Paulo Saldaña 
A Prefeitura de São Paulo fechou 2013, primeiro ano da gestão Fernando Haddad (PT), com uma fila por vaga em creche maior do que a registrada no fim do ano anterior. Em dezembro do ano passado, 96,6 mil crianças esperavam por uma vaga em creche na cidade - ante 93,8 mil no mesmo mês do ano anterior. A rede municipal fechou o ano com 214,4 mil matrículas, apenas 366 crianças a mais do que havia em dezembro de 2012.
Daniele espera vaga para sua filha Ana há 2 anos - Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão
Daniele espera vaga para sua filha Ana há 2 anos
A promessa de Haddad é zerar essa fila recebida em dezembro da gestão anterior, de Gilberto Kassab (PSD). A Justiça condenou no fim do ano passado a Prefeitura a criar 150 mil vagas em educação infantil, sendo 105 mil apenas em creche (para crianças de até 3 anos).
Sem divulgação. Os dados de dezembro de 2013 foram obtidos pelo Estado por meio da Lei de Acesso, uma vez que a Secretaria Municipal de Educação não divulgou os dados do mês - como ocorre desde 2007. Por lei, o Município é obrigado a divulgar os dados de matrícula e demanda por educação infantil a cada três meses. O último dado era de outubro.
Segundo a pasta, a não divulgação do resultado de dezembro foi para "evitar a desinformação". A gestão atual duvida dos dados deixados por Kassab e diz que a antiga administração deixou 1,6 mil crianças matriculadas em creches que ainda estavam em obras. Defende, ainda, que precisou recolocar 4,5 mil crianças de 38 entidades conveniadas que precisaram ser descredenciadas por risco.
O secretário municipal de Educação, Cesar Callegari, diz que a pasta fará uma auditoria dos dados. "É um prejuízo (não divulgar o balanço de dezembro) porque é uma desinformação", afirma. "Mas a quem interessa o dado está disponível."
Callegari defende que a gestão criou 11 mil vagas no primeiro ano, apesar de o volume de atendimento não mostrar essa realidade - mesmo com as situações legadas da gestão anterior. Segundo ele, nem todas essas vagas foram ocupadas.
A equipe de Kassab critica os argumentos da administração atual. "Cancelar convênios e assinar novos fazem parte da atividade da secretaria. Todas as gestões anteriores a esta cancelaram convênios. A diferença é que, pela primeira vez, uma gestão não ampliou matrículas em seu primeiro ano", afirmou em nota o ex-secretário de Educação Alexandre Schneider.
Exemplo. A segurança Daniele Alexandrino, de 28 anos, espera há dois anos uma vaga de creche em Paraisópolis, zona sul da cidade. Para não deixar a filha Ana Vitória, de 3 anos, sozinha, mudou o horário do trabalho para combinar com o marido. "Tenho de sair de casa às 4 horas e ela fica com meu marido", diz. Além do malabarismo da família, Ana Vitória fica fora da escola.

Postagens populares